Bahia: Sesab confirma primeira morte por Febre do Oropouche no estado

Foto: Divulgação/Sesab
Sesab confirma primeira morte por frebre Oropouche na Bahia

Nesta segunda-feira (17), a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) confirmou a primeira morte por Febre Oropouche no estado. A paciente era uma mulher de 24 anos, moradora de Valença, cidade que fica a 123 km de Salvador.

A morte da jovem foi registrada no mês de março, mas só foi divulgada nesta segunda, por conta da necessidade da realização de diversos exames para que a causa do óbito fosse confirmada. Mais informações sobre o quadro de saúde da paciente não foram detalhadas. Uma segunda morte por Oropouche está em investigação. O paciente tem 21 anos e o caso foi registrado em Camamu, cidade a 72 km de Valença.

Conforme a Sesab, desde março já foram confirmados 691, em 48 cidades. As primeiras ocorrências foram em Laje e Valença, cidade onde o primeiro óbito foi registrado. Até a última atualização do órgão, a cidade de Gandu, no sul da Bahia, liderava a lista de registros, com 81 casos. A cidade de Amargosa aparecia com 66 registros positivos, seguida de Uruçuca, com 50.

Entenda mais sobre a Febre de Oropouche:

A Febre do Oropouche é uma doença viral transmitida pelo Culicoides paraensis, conhecido como maruim ou mosquito-pólvora. Até o momento, não há registros de transmissão direta entre pessoas.

O arbovírus foi isolado pela primeira vez no Brasil em 1960, na amostra de sangue de uma bicho-preguiça capturada durante a construção da rodovia Belém – Brasília. Desde então, casos isolados e surtos foram registrados no país.

Os sintomas incluem febre, dor de cabeça e dores musculares, semelhantes aos de outras arboviroses como a dengue e a chikungunya.

Não existe tratamento específico para a Febre do Oropouche. Ele é focado no alívio dos sintomas.

Com o aumento no número de casos, a Secretaria da Saúde do Estado intensificou as ações de investigação epidemiológica nas regiões em que houve registros da doença.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui