Vila Verde: Moradores deixam casas e comunidade é ocupada pela polícia após tiroteios intensos entre facções

Após ser baleado com tiro nas costas, funcionário terceirizado da Embasa morre
Foto: Reprodução

As várias trocas de tiros ocorridas em Vila Verde, localizada entre os bairros de Mussurunga e São Cristóvão, em Salvador, fizeram moradores deixarem as suas casas. A situação fez com que policiais militares ocupassem a região 24 horas para devolver a sensação de segurança para as pessoas.

O cenário na comunidade de Vila Verde é de casas com portas abertas e sem habitantes. Em algumas delas é possível ver janelas quebradas, móveis, roupas e fotos abandonadas, além de marcas de tiros nas paredes.

Para “marcar território”, integrantes das facções criminosas escreveram siglas que representam os grupos nas paredes das casas. Na sexta-feira, além de ocupar a localidade com viaturas, equipes da 49ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) apagaram os dizeres.

“Os moradores não falam com a gente até por segurança deles mesmo. Ficam melindrados em falar, mas com a ocupação que a gente tem feito, naturalmente as pessoas vão retornar para suas residências”, informou o major Demóstenes Pinheiro, comandante da 49ª CIPM.

Vila Verde fica localizada às margens da Avenida Aliomar Baleeiro, conhecida popularmente como “Estrada Velha do Aeroporto”. Além de casas e estabelecimentos comerciais, a localidade tem vários matagais, que muitas vezes são utilizados por criminosos durante tiroteios.

A região também passa por suspensões de serviços básicos. Na sexta (17), com a ocupação feita pelos policiais, os ônibus do transporte público circularam normalmente pelo local. No entanto, os rodoviários deixaram de entrar em Vila Verde algumas vezes nas semanas anteriores.

Por conta da situação de insegurança, 226 crianças que estudam da Escola Laura Sales estão sem aulas. A Secretaria Municipal de Educação (Smed) informou que não há um prazo para o retorno das atividades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui